Reabilitação Cognitiva para Idoso - Reabilita Neuropsicologia
401
post-template-default,single,single-post,postid-401,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive
 

Reabilitação Cognitiva para Idoso

Reabilitação Cognitiva para Idoso

Quais os benefícios da estimulação cognitiva para o idoso com doença de Alzheimer?

 

É grande o impacto negativo da demência sobre a vida do paciente e de seus familiares, aos poucos o contato vai se distanciando e as lembranças se perdendo. Neste contexto podemos pensar em algumas intervenções possíveis que possam auxiliar na melhora da qualidade de vida de todos os envolvidos. Algumas atividades práticas podem ser realizadas e funcionam como intervenção não farmacológica. A estimulação neuropsicológica é capaz de amenizar dificuldades cognitivas dependendo do grau de comprometimento do indivíduo.

Muitos estudos científicos confirmam a eficácia da estimulação cognitiva para pacientes com demência. Porém para que os benefícios das atividades possam ser percebidos pelo paciente e seus familiares ela deve ser iniciada o quanto antes.

Uma das primeiras dificuldades que um paciente com doença de Alzheimer pode apresentar é a perda de memória recente, relatando a dificuldade na noção de tempo e espaço, não sabendo ao certo o dia ou o local onde está e também é comum um aumento na dificuldade de reconhecer rostos e lembrar o nome de pessoas do convívio diário.

Durante as sessões de Reabilitação Neuropsicológica são realizadas atividades, treinos cognitivos que estimulam as mais diversas funções como atenção, memória, linguagem, velocidade de processamento, funções executivas, seguindo protocolos preestabelecidos e elaborados de acordo com cada perfil cognitivo, pois mesmo se tratando de uma mesma doença, as queixas e necessidades podem variar muito.  Todas as atividades são estruturadas e planejadas com metas a curto, médio e longo prazo, por isso é muito importante que as sessões ocorram com determinada constância.

Até mesmo os menores ganhos neurológicos repercutem em grandes alterações nas atividades diárias da família toda. Quando o paciente toma consciência de onde está e que dia é hoje, bem como quando consegue lembrar os nomes e a reconhecer as pessoas ao seu redor, de certa forma se reconecta com o ambiente social, conseguindo restabelecer pequenas rotinas, sentindo-se mais integrado e participante do grupo familiar.

 

Aline G Gonçalves

Psicóloga Clínica

CRP06/62899